A Tecnologia Care e Seus Benefícios

Imprimir

Novos Esclarecimentos Sobre a Tecnologia CARE

careelectric.com.br

O que nos leva a apresentar este trabalho é informar ao publico interessado no que se refere a evolução da tecnologia, CARE, informação sobre a diminuição dos custos, retorno sobre o capital investido e assuntos termos sociais e ambientais.

Antes de iniciar comentários da tecnologia  da CARE  apresentamos fatos e informações que incentivarão os sócios a investir no desenvolvimento e divulgação da tecnologia e que confirmarão  o potencial e a credibilidade da tecnologia. Segue a titulo de iniciar a introdução do estudo de avaliação da tecnologia CARE realizado pela CEFET da Universidade de Minas Gerias com referência a avaliação da funcionalidade e potencial da tecnologia.

INTRODUÇÃO DA AVALIAÇÃO DA CEFET
“A turbina flutuante é a mais importante descoberta, na geração de energia elétrica alternativa, sem poluição, para o futuro próximo.
Podemos visualizar no projeto de geração de energia, através da turbina flutuante, a possibilidade de grandes mudanças nos os níveis sociais, econômicos e ecológicos.
Em países desenvolvidos poderá ser utilizado esse potencial elétrico excedente para gerar hidrogênio, enquanto em países em desenvolvimento poderá ser utilizado esse potencial para eletrificar regiões mais carentes. Em ambos exemplos é possível gerar milhões de empregos diretos e indiretos, mudando completamente a economia mundial.”

Outras fontes de  recohecimento da technologia sao:
A CARE foi a única empresa da America do Sul, no seguimento de Energia, a ser convidada a receber o Certificado de Technology Pioneer pela World Economic Forum da Davos, isto prova que a Tecnologia Care é reconhecida mundialmente e, o que é mais importante, é uma Tecnologia Brasileira.

A CARE  também foi convidada a fazer parte da Cietec – Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia  da Universidade de São PAULO.
Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia - Cietec

A  tecnologia foi objeto de reportagens internacional da CNN TV e nas revistas Business WeekHarvard Business Review Brasil, Valor Econômico, WATER POWER & DAM CONSTRUCTION. www.waterpowermagazine.com; Scientific and Technical Advisory Committee (STAC); Pequenas Empresas & Grandes Negocios

Entre outras revistas e publicações internacionais e nacionais.

COMENTARIOS RELATIVO A CUSTOS / RETORNO DO INVESTIMENTO da TECNOLOGIA CARE

É fundamental entender que a tecnologia da CARE é uma nova, porem comprovado, tecnologia de geração. Tomamos a liberdade de apresentar para apreciação um comentário sobe  oportunidades de investimento em venture capital ou seja capital de risco.
Temos recebidos indagações  sobre porque não apresentamos detalhes de projeções de custos/ aplicação de capital / e principalmente  estimativas do potencial e tamanho de mercado.
Seguem  considerações sobre esses assuntos que provavelmente vão ser melhor compreendido e aceitos por pessoas que entendem do risco inerente em novas tecnologias, e da dificuldade ou quase impossibilidade de projetar o mercado para algo novo inovadora e ainda em forma de pré  industrialização.    
Nossa posição e ideias são basicamente fundamentadas na filosofia ou conceitos do  Professor Bill Sahlman da Universidade de Harvard publicado em 1996 onde ele afirma:.
“ Nenhuma avaliação do conceito de business plans seria completo sem reconhecer a omnipresença das pró-formas que as  entopem. A maiorias dos business writers gastam horas com projeções financeiras imaginado que o investidor vai avaliar as e levantar centenas de perguntas. 
Professor Shalman continua : “Quando eu comecei estudar empreendimentos de venture capital eu temia em iniciar o trabalho pelos números . Para dizer a verdade si hoje eu recebo um plano que contem cinco anos de projeções mensais eu, imediatamente e com entusiasmo, a coloca  no arquivo circular ao lado da minha mesa “
CARE esta apresentando ao mercado uma tecnologia  que modifica / choca com a tecnologia aceito a 200 anos. Porem, como já demonstramos, acima organizações internacionais reconhecem a sua validade ou potencial viabilidade. Portanto a principal questão  não é será que funciona? E sim quanto tempo vai levar para alcançar o mercado comercial.  Por exemplo estimamos que somente na região amazônica do Brasil existem no mínimo 9000 potenciais locais passível de instalação de uma ou mais unidades.
Imaginam todo Brasil e o mercado mundial!
Reconhecemos e entendemos que a cultura econômica / política de cada sociedade influi na capacidade e ou interesse em  aceitar ou não  novas iniciativas especialmente de origem da iniciativa  privada e que implicam em mudanças. Sobre o titulo CONSIDERAÇÕES ECONÔMICAS apresentamos mais detalhes sobre os custos.

UMA BREVE ATUALIZAÇÃO DA TECNOLOGIA  DA CARE
O volume de água que passa pelo portal de abertura da instalação é determinado por uma  avaliação do local para averiguar  a velocidade / volume e do fluxo do rio que é a fonte para acionar o  giro do gerador conforme a altura da coluna d’água. Este volume gera uma forca hidráulica perpendicular no superfície das laminas fixada no eixo do rotor da (as) turbinas assim provocando o giro da mesma que por sua vez gira ou impulsiona a (as) o gerador (as) produzido energia.
O tamanho da abertura da passagem d’água e projetado para poder alcançar o torque maximo do(os) gerador(as). A intensidade da forca hidráulica é diretamente relacionada com o fluxo do rio. Cada rio e cada local de potencial instalação tem um fluxo ou melhor intensidade de fluxo especifico. Este é o  fator que determina  o tamanho da abertura do porto de fluxo. A forca hidráulica nas laminas deve sempre ser superior a forca necessária  para produzir o torque necessário para gerar a potência total instalado. E necessário antes da transformação reconciliar a velocidade do giro do rotor com o fluxo e torque exigido pelo gerador .
As turbinas são desenhadas  com a finalidade de permitir que o giro maximo do gerador e alcançado. Também ao cumprimento permite que um volume maior de do fluxo de água exerce pressão hidráulica nas laminas assim alcançando um torque com intensidade superior ao necessário para gerar a potencia máxima.  Assim a forca em excesso serve para manter os geradores a potencia Maximo ainda que pode haver uma redução no volume da água. Outro fator importante é que a perda mecânica e mínima porque o gerador esta fixado ou seja acoplado na ponta do eixo da turbina. São esses e outras fatores que permite as turbinas CARE alcançar no mínimo 80% da potencia instalada do gerador(ores).
O posicionamento (ajuste da altura em relação ao nível do fluxo do rio ) provoca o aumento da altura do fluxo de água em frente ate que alcance a mesma altura da estrutura de fixação  do gerador. A altura da coluna de água é regulado por uma placa  de aço  que por sua vez e que permite o ajuste da velocidade do giro e consequentemente o controle do potencial consequentemente a forca gerado  .
A altura da coluna de água  acumulado em frente a turbina depende  do equipamento instalada. Modelos para pequenos e grandes rio são disponível.  Em cada caso (local de instalação ) um estudo detalhado  das condições do rio é essencial. A capacidade de geração e determinado pelo fluxo de água . Por exemplo geradores de 167kWh (tipo irrigação) exigem um fluxo de águia de 9seg.m3 para gerar toda a potencia instalada. Atualmente existem especificações e desenhos para unidades de 5Mw
E factível instalar unidades sucessivamente rio abaixo, multiplicando a energia gerada,  dependendo do volume da água,  fluxo , altura dos barrancos e sempre respeitando uma distancia entre unidades que permite a água retorna ao seu fluxo normal.
O fator operacional mais importante que deve ser lembrado  é que a perda mecânica e quase inexistente porque o gerador esta conectado diretamente ao eixo do rotor.

POTENCIAL DO MERCADO
O potencial é somente limitado pelas condições dos rios disponíveis e condições climáticas. (em régios de congelamento unidades especiais são necessárias). Se no Brasil estimamos, como já dissemos, existem somente na região Amazônica mais de 9000 potenciais locais para instalação, imaginem o potencial do mercado mundial!!
Imaginem também o potencial do mercado mundial para unidades menores de unidades de geração de energia para irrigação ou para levar energia para áreas fora das linhas de transição conectando diretamente a fontes de consumo com hospitais, escolas e empreendimentos econômicos locais. 
Em estimar o mercado mundial recomendamos sempre lembrar que não existe necessidade de conexão com redes de distribuição. Sistema CARE podem fornecer energia para vilarejos, centros turísticos, mineração, agricultura e atividades comerciais em áreas isoladas.

É ESSENCIAL SEMPRE LEVAR EM CONSIDERAÇÃO A DIFERENÇA ENTRE CAPACIDADE DE GERAÇÃO INSTALADA E ENERGIA EFETIVAMENTE GERADA PARA PODER AVALIAR A TECNOLOGIA DA CARE.

CONSIDERAÇÕES ECONÔMICAS
É fundamental quando procuram determinar o custo real e retorno no capital investido de uma unidade CARE que o  calculo seja fundamentado no volume de energia efetivamente  gerado e não na potencia do gerado comprado/instalado ( ou seja o capital aplicado na compra do gerador. )
P(WATTS) = (1/seg.) Hman x 9,81m/seg 2 x n
Onde  significa forca em watts – W
Q = ao fluxo do rio em litros por segundo L/seg
Hman Metric height inmeters  m
N  =  percentual de capacidade instalada

Segue  uma demonstração do impacto do custo final de um MW quando emprega se o conceito da capacidade instalada Vs a energia efetivamente gerada. A base de custos é Brasil em 2009/10 porem  orçamentos desenvolvidos na Europa em 2013 confirmam  que os custos de fabricação de unidades são hoje no mínimo 40% inferior comparado com Brasil devido a menos impostos, técnicas de fabricação mais sofisticadas e eficientes e também devido a qualidade do material disponível. Essas vantagens somados ao fato da eficiência de geração da potencia instalada pode baixar o custo CARE comparado com outras fontes hídricas em 70%.


1. O custo real custo da instalação de um PCH ou unidades  grandes hidro elétricas custa por kWh hora instalada fica em torno de R$5.500.00 por Kwh. Considerando que essas unidades somente geram a  55% ou menos da potencia instalada o custo (capital investido) e na realidade quase o  dobro considerando o retorno no capital investido. ( em torno de 50% do investido no gerador) Entretanto, uma PCH com a capacidade instalada de 3000 kWhr ou seja 3Mw requer um investimento total de R$16,500,000,00. A taxa de conversão usado e de US$1.00 igual a R$1.80. Portanto uma PCH (unidade de geração hídrica) custa na realidade quase o dobro. 

2. Considerando que a eficiência de geração de uma PCH e de 55% da potencia instalada o custo real do kWh passa para R$9.166,67 ou US$5,3651,00 . Isto ocorre porque investimos  ou pagamos R$16.5 milhões para um gerador de 3000kWh e efetivamente somente 1.800 kWh são gerados. Em outro ponto de vista pagamos  para 1000 kWh para um PCH  porem somente 550 kWh são gerados o que significa uma aumento real  de 82%

Observação: Pesquisas e levantamentos de orçamentos realizadas em 2013 na Europa confirmam  o custo por kW/h é EUR$1123,00 por kW/h ou seja aproximadamente R$2246,00. No Brasil este custo é no mínimo R$5.500,00.

Para generalizar o custo estimado é de EUR1.2000 por kW/h          
que inclui toda as pecas de uma unidade, transporte instalação       
concretizargem  no local. Não inclui  impostos, diferente em 
cada pais.  Assim uma unidade de 1mW/h = Eur1.5 a 2 milhões.


Outro fator que deve ser considerado são os custos locais de transporte e concretizagem, facilidade de acesso ao local de montagem  e custos semelhantes.               

É importante notar que devido a evolução da tecnologia CARE na Europa já é possível iniciar a fabricação em seres levando as seções para o local de instalação para montagem - uma vantagem significante nos custos.

OUTROS FATORES DE CUSTO OU RETORNO NO  CAPITAL INVESTIDO NA TECNOLOGIA CARE
Seguem algumas observações sobre outras vantagens econômicas e de custos operacionais  que influenciam no retorno do capital investido.
1. Uma vez que existe um número economicamente suficiente de unidades em operação em uma determinada área geográfica, essas podem ser controladas por satélite e internet reduzindo custos operacionais.
2. O tempo necessário para realizar ou preparar o projeto, fabricar as peças, transportar e montar a unidade é, dependendo da potência e condições geográficas, não superior a 12 meses.
4. Com a sofisticação da produção em massa, unidades podem serem transportadas por via área ao local de montagem e operação com significante diminuição de custo e tempo.
5. A fabricação em série como automóvel, diminuindo ainda mais seu custo já é viável e organizado.
6. Considerando que a unidade CARE não inunda terras, custos de indenização, remoção de moradores e da vida local são inexistentes.

A Tecnologia CARE e o Meio Ambiente

Até o ano 2004 estima-se que foram inundadas no Brasil  34mil Km² para a construção de represas e foram deslocadas  mais de um milhão de pessoas das suas residências e propriedades. São custos nunca assumidos ou reconhecido por governos, nas planilhas ou projeções de custos.

A tecnologia da CARE contribuirá para corrigir estas distorções de uma forma que não influi negativamente em qualquer sentido no meio ambiente ao contrário dos outros sistemas hídricos . Entre outras, oferece as seguintes vantagens:

1.    Não provoca inundação de terras, portanto não desloca a população ribeirinha como também não destrói plantações, pastos ou florestas. O sistema por não ser intrusivo não provoca nenhuma modificação nas áreas ou terras próximas ou distantes.

2.    A unidade geradora pode ser instalada em qualquer rio que proporcione as condições mínimas de fluxo necessárias para operação. Cada unidade é projetada para atender as condições do local. 

3.    Em tempos chuvosos que podem provocar enchentes, a posição do sistema de turbinas geradoras pode ser regulada conforme a necessidade e as condições do rio onde esta operando, evitando inundações ou descargas excessivas de água rio abaixo.

4.    Não utiliza qualquer tipo de combustível assim evitando a possibilidade de um “oil spill” ou contaminação por matérias lubrificantes.

5.    A força propulsora do sistema é a água, uma fonte renovável.

6.    Passagens para circulação dos peixes e vida aquática são partes integrantes de qualquer instalação.

7.    As pás flexíveis fixadas no rotor da turbina, quando em movimento de rotação, proporcionam uma intensa oxigenação das águas do rio melhorando a qualidade da água e propiciando melhores condições para a vida aquática.

8.    Importante: O sistema CARE não é necessariamente uma unidade isolada para gerar uma quantidade reduzida de energia elétrica. Várias unidades podem ser instaladas no mesmo rio desde que a distância entre cada unidade seja suficiente para que o fluxo de água volte á sua estabilidade e velocidade normal. Assim, o número de unidades que podem ser instaladas depende apenas das condições favoráveis que o rio nos oferece, seu fluxo e sua velocidade. Existem projeções para unidades de 5Mw.

EM CONCLUSÃO - CONSIDERAÇÕES SOCIAIS

Segue um Blog da CARE  com a finalidade de  apontar  aspectos sociais e econômicos positivos do uso da tecnologia CARE especialmente em áreas  onde não existe energia elétrica. O Blog foi provocado por um artigo na revista Veja de 4 de novembro intitulado  “O que os índios querem” que afirma que as tribos indígenas brasileiras, como qualquer outra população, querem, melhor qualidade de vida, acesso  a saúde, educação e oportunidade de desenvolvimento econômico .

Para alcançar esses objetivos é fundamental promover acesso a energia limpa para as comunidades, assim criando condições necessárias para a liberdade econômica, social, incentivando a evolução ordenada. Esses objetivos nem sempre vão de encontro dos  interesses políticos porem  são preocupações internacionais.
Para melhor compreensão do cunho social sugerimos ler o que segue.

Segue a apresentação de autoria de Dr. Amulya K.N. REDDY da India que foi  publicado no WORLD ENERGY ASSESSMENT: ENERGY: ENERGY AND THE CHALLENGE OF SUSTAINABILITY na década de 90.

"Tem-se observado que "a pobreza tem cara de mulher". A energia e as mulheres estão ligadas, em muitas e variadas formas, principalmente através da fonte de energia (predominantemente biomassa), as características do núcleo familiar, as características da política energética, e a posição das mulheres na comunidade. A disponibilidade de energia elétrica é o fator fundamental e vital para alcançar esses objetivos melhorar a posição das mulheres nas famílias e sociedades. Este conceito esta cada dia mais reconhecido como um fator fundamental para entender a  pobreza que domina certas áreas. O autor esta convicto de que muitos trabalhos que incidem sobre as mulheres poderiam ser amenizados se as mesmas tivessem acesso a energia elétrica.

A presença de um grande número de membros de um família que está sobre a responsabilidade da mulher na maioria de países subdesenvolvidos, é devido ao fato das suas responsabilidades e atividades estarem intimamente relacionadas a procura e administração de fontes de energia é o que cria esta conotação. É por estas razões que o risco de pobreza é maior para as mulheres.

É fundamental que nós encaremos esta situação por um prisma diferente: é essencial reconhecer que a disponibilidade de energia e seu consumo em si não é o objetivo. O ser humano não quer carvão, óleo ou geradores, eles procuram o que essas fontes ou modalidades podem oferecer na forma de energia.


Preparado  em Novembro 2013

Frank de Luca
55 21  34273439 - 55 21 2410 3108 - 55 21 99829 6386

 

Última atualização ( Dom, 08 de Junho de 2014 17:22 )